janeiro 13, 2017

O viajante

Pelo tempo, caminho,
o relógio nunca para, também não volta.
eu sou minha própria escolta.
mar de dúvidas, solidão,
eu viajo quase sempre só,
tô na minha própria mão...
sou viajante,
ando sempre em frente!
quem sou eu?
o mesmo de sempre.
muita coisa muda,
ela diz que nada mudou.
as peças trocam de lugar...
nem sei qual é meu destino
só sigo.